Mordaça no jornal


Liberdade de expressão é o direito de expressar livremente sua opinião, seus pensamentos. Um conceito basilar nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral.

No Brasil a liberdade de expressão foi preservada até a Constituição de 1937. No governo de Vargas toda aquela liberdade desapareceu, sendo substituída pela censura, a fim de impedir a publicação de algumas informações.
Essas informações que eram impedidas de ser expostas ao publico eram verdades que cabiam ao povo saber.
Pensei que a Era Vargas já tivesse acabado, mas pelo visto está de volta, é claro que está “camuflada” e não tem o mesmo peso que no governo Vargas, mas mesmo assim a censura faz parte do nosso cotidiano nos últimos meses.
Como um país democrata permite que seja censurado um jornal por informar ao publico o caráter do ciclo de pessoas que constituem o governo e sua família. O jornal Estado de São Paulo foi censurado por publicar reportagens sobre a Operação Faktor (é uma operação da Policia Federal Brasileira que investiga Fernando Sarney, suspeito de fazer caixa dois na campanha de Roseana Sarney na disputa pelo governo do Maranhão em 2006. Antes das eleições, ele sacou 2 milhões de reais em dinheiro), a censura ao jornal vem acontecendo desde Julho de 2009 realizada pelo desembargador Dácio Vieira a pedido de Fernando Sarney, (detalhe: Dácio Vieira pertence ao grupo social de Sarney.)
O que chama atenção referente a essa operação Faktor é que em conseqüência a Policia Federal gravou ligações que mostram indícios de nepotismo praticados por Sarney onde interveio ao entregar um cargo ao namorado de sua neta.
O “nosso querido” presidente, tem uma opinião sobre isso, segundo ele os jornais tem liberdade de expressão e de imprensa, mas é claro que tem Senhor Presidente, estamos comprovando isso com a censura ao jornal Estado de São Paulo.
Se a informação chegou até o jornal então ela já não é mais confidencial se tornou publica, agora me diz, se chegou até o jornal é porque saiu de algum lugar, censurar o jornal em pleno século XXI é um atentado a democracia.
Mas esperai!
Estamos falando na família Sarney, oras! Eles não podem ser expostos dessa forma, coitadinhos tão pobrezinhos, tão inocentes.
Apoio Mozart Valadares presidente dos Magistrados Brasileiros quando disse que numa democracia consolidada não podemos admitir censura ou limitação á liberdade de expressão. Já imaginou o Brasil retrocedendo a Era Vargas? Acredito que isso não aconteceria, mas imaginou o nome que seria, “Era Lula” ou “Era Sarney”, fiquei confusa agora (risos).
Espero que a família Sarney não faça com o Brasil o mesmo que fez com o Maranhão, é uma família milionária em uma terra que lidera o ranking brasileiro de subdesenvolvimento, que coincidência! (observação: meu avô sempre fala que na vida não existe coincidência, apenas forçamos algumas coisas.)
Quando penso em um país democrata logo me vem na mente um grito, quer algo mais libertador que um grito, nesse caso é um tremendo grito:
- Fora Sarney!
Li uma frase que não me recordo quem escreveu “Getulio saiu da vida para entrar na história. Sarney sai da historia para cair na vida”, não só caiu na vida como na mira da imprensa.
Infelizmente tem uma enorme mordaça no Brasil, o fraco se submetendo ao forte, outros manipulam a informação passando o que lhe é favorável e alguém tenta mostrar a sujeira e é censurado.
Nesse ritmo como uma boa brasileira termino com um samba.
Tem um Brasil que é próspero
Outro não muda
Um Brasil que investe
Outro que suga...
Tem um Brasil que é lindo
Outro que fede
O Brasil que dá
É igualzinho ao que pede...
(Seu Jorge – Brasis)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sorrir, vem colorir solar.

Cutucar ou não cutucar, eis a questão!