Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Licença para entrar.

Peça licença antes de invadir um coração. É isso mesmo, não adianta dizer que não fez de propósito ou coisa e tal. Com o mesmo impulso que entras, a urgência da saída gerará traumas, dores, arrependimento. Pense muito bem antes: o terreno é sensível, requer cuidados tão essenciais e podes não estar preparado (mais uma vez). Até mesmo uma palavra dita na hora errada é capaz de minguar sentimentos. Isso é triste demais.

Limpe os pés antes de caminhar sobre o coração escolhido. Se possível, venha descalço. O sapato trará sujeiras do passado que devem ficar guardadas somente no ontem. Embaixo do tapete talvez não funcione. Caminhe com calma, reconhecendo cada pegada. Elas são tuas, apesar de outras pessoas marcarem o caminho. Um dia, tudo some e cada passo terá o valor merecido.

Escolha a roupa mais simples antes de se apresentar. Um coração novo, não precisa de luxo, nem de muitas combinações. Apenas daquilo que é verdadeiro. Simplicidade é aceitar, com calma, o desconhecido. Eis um músc…

Parabéns Vini!

Felicidades, sucesso sempre !!!

Fazer o bem, sem olhar á quem!

Imagem
Eu havia me esquecido como é gratificante dançar com várias crianças a minha volta. Como é bom deixá-las feliz, com brilho nos olhos e unhas pintadas.
Bateu uma saudades de quando eu fazia um projeto social no Jardim Josane em Sorocaba, foram dois anos deliciosos, as vezes eu não conseguia enxergar tanta delicia, devido o cansaço, stress e sono. Meus companheiros naquela brincadeira séria eram os melhores.

Recordei-me de como isso é bom nesse domingo que passou, fomos a um almoço beneficente no Lar da Mônica em Piedade. Super simples a casa, mas muito agradável.
Enquanto 2Friends tocava eu dançava e a Celinha gritava: “2Friends”, quem conhece esse grito consegue imaginar como foi e não poderia ter sido melhor.
Se formos ir mais vezes lá, 2Friends vai precisar aprender a tocar e cantar Luan Santana, Fresno, Fernando e Sorocaba. Isso seria engraçado.

Não faço idéia da dor que cada criança carrega, qual é a sua história, mas é gratificante tentar amenizá-la, nem que seja por um dia.
O…

Cabe em mim!

Entre o beijo e o abraço há uma calma que somente nós conhecemos, quase de cor. Não enjoo. A gargalhada ou um simples suspiro é capaz de acender o escuro de todas as aparências. O gosto de café às 6h, 7h e 8h; ultimamente também na alta madrugada. O olhar me procurando durante as compras na quitanda da esquina mais próxima. O mesmo modo de enxergar a festa toda vez que vejo vocês chegando. Todos os dias do meu calendário particular, até mesmo às segundas-feiras tão preguiçosas.

Aeroporto agora para mim é sinônimo de espera, mas de reencontro definitivo. O carro que me leva à companhia dos escolhidos. A menina que anda de salto mundo afora e quando descalça chora, não sonha mais sozinha. Alguém reparou? A gaiola aberta que abandonei em meu peito, que anda repleto de esperança, de oxigênio. Sob a nossa sombra, sinto a carícia das asas de bons pensamentos voando sem direção. Um dia elas também te tocarão.

Nossos momentos mais felizes, alguns duraram segundos. A estrada mais fácil para os…

Minha primeira vez!

Imagem
Eu pensava que minha primeira vez fosse com alguém em que eu conhecesse bastante e que fosse mais do que um amigo porque eu tinha medo de como seria. Minha primeira vez foi sexta passada, à tarde com um amigo, o Jorge.
Eu suava tanto, fiquei com tremedeira quando ia entrar, eu não queria olhar e o Jorge ria muito, é claro, ele estava acostumado a fazer aquilo. De repente percebi que não tinha mais volta e eu tremia mais ainda e escondia meu rosto no braço do Jorge, parecia que tinha um elevador subindo e descendo na minha barriga.
Sabendo que não tinha mais volta eu olhei e tinha acabo de decolar, eu estava no céu.

Foi a primeira vez que andei de avião, fomos para Brasília visitar amigos, no meu caso fui conhecer novos, acrescentar em minha vida.
É uma sensação incrível estar dentro de uma “caixa” que é mais pesado que o ar se sustentando por meios próprios. Quando olhe para baixo e vi tudo minúsculo, parecendo formigas achei incrível.
Sobre mim um sol maravilhoso e abaixo nu…

Pela Pupila!

Aos meus queridos amigos que estão presentes, que já passaram, mas seram sempre amigos!!


Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.

Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normali…

Se foi!

Essa semana foi melhor que semana passada, provavelmente porque coloquei a cabeça no lugar.
Uma vez eu li um psiquiatra agradecendo a Deus, ao Universo a quem quer que seja por não ter dado tudo o que ele pedia. Nossa capacidade de pensar é minúscula diante do que queremos. As vezes pedimos um Fusca, e querem nos dar um Corolla (não menosprezando o Fusca, porque quero ter um!).
É tão difícil encarar com um olhar assim, todos os dias preciso me convencer disso.

Eu sei o que não quero para mim, o engraçado é que eu esqueci disso nas ultimas semanas. É muito fácil pregar o amor, o difícil é amar, é fácil pregar a compreensão, o difícil é compreender as pessoas e suas atitudes que sempre são focadas no que julgam certo.
Vivem querendo fazer o que acham certo, mas o que é certo nessa vida?

É tempo de cura, de sarar as feridas e esperar pelo que há de novo por vir, sempre vem!
Não escreverei mais sobre minhas paranóias diárias e nem sobre o que aconteceu nas ultimas semanas. Acabou.